Estudos Biblicos
Estudos Biblicos
Dezembro 16, 2017, 12:05:19 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
 
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: A Idolatria (3)  (Lida 1377 vezes)
Pr. Sérgio Felizardo
Administrator
Membro 4
*
Mensagens: 344



« em: Junho 29, 2014, 01:24:17 »

ESTUDO BÍBLICO: A IDOLATRIA (3)



"…Portanto, meus amados irmãos, fugi da idolatria" - I Coríntios 10:14

QUE DIZ A BÍBLIA?

Biblicamente, quem é santo?
Segundo o Novo Testamento, o sentido da palavra "santo" difere inteiramente daquele que a Igreja Romana lhe dá. A palavra "santo" é empregada cerca de sessenta vezes, e nunca aparece como "qualificativo" de um nome, mas sempre designando os crentes comuns em nosso Senhor Jesus Cristo. Os "santos" eram seres vivos, que viviam ainda sobre a terra, quando o nome "santo" Ihes foi dado.

Assim, os encontramos em:
- Jerusalém (Actos 9:13),
- Lida (Actos 9:32),
- Jope, (Actos 9:41),
- Roma (Romanos 1:7),
- Corinto (I Coríntios 1:2),
- Acaia (II Corímios 1:1) e
- Colossos (Colossenses 2:2).

Eram membros das igrejas que existiam nestas e outras cidades. O Apóstolo Paulo chama aos crentes "santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome do Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso" (I Coríntios 1:2). Se refere àqueles que "imploram" a Maria ou aos Santos. A palavra "santo" significa "separado", para determinado fim. Posto que eles tivessem sido pecadores como todos os outros, foram "lavados e santificados, e justificados, em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus" (I Coríntios 6:11). Foram redimidos pelo sangue de Jesus, e todos os seus pecados foram perdoados, "segundo a riqueza da sua graça" (Efésios 1:7).

Eles estavam "em Cristo" (Efésios 1:1).
Contudo, os chamados "santos" não eram perfeitos em si mesmos. Foram chamados para serem santos. As duas Cartas que Paulo escreveu às Igrejas de Corinto, revelam que estes "santos" tinham, às vezes, graves defeitos, mostrando que estavam longe da santidade, para a qual tinham sido chamados, sendo, ainda, vítimas do pecado. Deus deu dons à sua Igreja "para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério" (Efésios 4:12). É altura de fazermos a seguinte pergunta: Estarão os santos nos altares ou nos céus? Estarão mortos ou vivos?


A BÍBLIA É CLARA

Quanto à oração aos que já partiram deste mundo, precisamos dizer que a Bíblia nos diz serem inúteis as orações aos santos, porque:

- A oração é uma forma de culto, e o mandamento de Deus, reiterado por nosso Senhor Jesus Cristo, é: "Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele darás culto" (Mateus 4:10).

- O culto dos Santos, ou a oração a eles feita, não é ordenada em parte alguma das Escrituras. Não há um exemplo sequer, de invocação dos Santos, nem no Antigo nem no Novo Testamento.

- Nem Pedro em relação a Cornélio (Actos 10:26), nem Paulo e Barnabé em relação ao povo de Listra (Actos 14:15) consentiram que os homens se ajoelhassem diante deles, e os reverenciassem.

- Entretanto, esta não foi a atitude de Jesus. O leproso adorou-O e lhe fez uma súplica (Mateus 8:2). O mesmo fez Jairo (Mateus 9:18), e também os discípulos depois da tempestade no lago (Mateus 14:33), e a mulher cananeia (Mateus 15:23). Jesus recebeu o culto que estas pessoas Lhe tributaram, e respondeu às orações que Lhe fizeram. Se Pedro, Paulo e Barnabé não receberam culto aqui na terra, por que iriam eles recebê-lo no céu?

- Os santos que já partiram deste mundo não são nem onipresentes nem onipotentes para ouvirem as orações que os homens lhes fazem de toda a parte. É dar-Ihes atributos que só pertencem a Deus. Esta prática diminui o valor e a necessidade da oração que deve ser feita a Deus mesmo.

- Não há qualquer evidência de que eles possam ajudar a quem quer que seja, mesmo que pudessem ouvir as orações e ver as necessidades humanas.

- Jesus Cristo só uma vez se referiu à oração feita a um santo, mas, esta oração, não subiu da terra, mas do Hades; o rico da parábola orou a Abraão, primeiro em favor de si mesmo e, depois, em favor de seus irmãos, que ainda viviam na terra, e, no entanto, em ambos os pedidos que fez, ele não foi atendido (Lucas 16:23-31).

- Depois da morte de Samuel, em vão Saul buscou o seu auxílio, alegando que Deus não lhe respondia. Em I Crónicas 10:13-14, lemos: "Assim morreu Saul por causa da sua transgressão com que transgrediu contra o Senhor, por causa da palavra do Senhor, a qual não havia guardado; e também porque buscou a adivinhadora para a consultar. E não buscou ao Senhor, pelo que o matou, e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé".

Invocar os mortos, não obstante tenham sido santos, não somente é inútil: é pecado!
- Procurar o auxílio dos santos implica em que Cristo é insuficiente, tanto para salvar como para abençoar os homens, e que tem de ser persuadido a isso, mediante a intercessão dos santos. Isto é desfazer da graça e do amor de Cristo.

- O nome de Cristo é o único direito que temos diante de Deus. Ele mesmo o afirmou: "Eu sou o caminho... e ninguém vem ao Pai, senão por mm" (João 14:6). Jesus, com estas palavras exclui qualquer outro mediador.

- O apóstolo Paulo foi claro, ao afirmar: "Porque há um só Deus, a um só Mediador entre Deus a os homens, Jesus Cristo homem" (I Timóteo 2:5). Vemos assim que, nas Sagradas Escrituras, nada há que sugira que tais santos possam ouvir nossas orações ou ajudar-nos mediante sua intercessão.


A BÍBLIA DIZ QUE O CULTO ÀS IMAGENS É IDOLATRIA

A Palavra de Deus é clara neste assunto. Ela diz que as imagens são feitas pelas mãos dos homens:
- O Salmo 135:15-18, diz: "Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens. Têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem. Têm ouvidos, mas não ouvem; nem há respeito algum nas suas bocas. Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem, e todos os que neles confiam".

- Lemos em Isaías 44:9-13, 15, 17-18: "Todos os artífices de imagens de escultura são vaidade, e as suas coisas mais desejáveis são de nenhum préstimo. Quem forma um deus, e funde uma imagem de escultura, que é de nenhum préstimo? Eis que todos os seus seguidores ficarão confundidos, pois os mesmos artífices são de entre os homens. O ferreiro faz o machado, e trabalha nas brasas, e o forma com martelos e o lavra com a força do seu braço.

O carpinteiro estende a régua, emprega a almagra, aplaina com o capilho e marca com o compasso: e faz um deus à semelhança dum homem, segundo a forma dum homem, para ficar em casa. Também faz um deus, e se prostra diante dele; fabrica uma imagem de escultura, e ajoelha diante dela. Então do resto faz um deus, uma imagem de escultura; ajoelha-se diante dele, e se inclina, e ora-lhe, e diz: Livra-me, porquanto tu és o meu deus. Nada sabem, nem entendem; porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e os seus corações, para que não entendam. E nenhum deles reflecte; e não tem conhecimento nem entendimento para dizer: metade queimei no fogo, e assei pão sobre as brasas; e fiz um assado e dele comi; e faria eu do resto uma abominação? Ajoelhar-me-ei ao que saiu duma árvore?"

- Em I Reis 18:27, lemos: "E sucedeu que ao meio-dia Elias zombava deles, e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; porventura dorme, e despertará".

- Jeremias 10:3-5, diz-nos: "Porque os costumes dos povos são vaidade: pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado. Com prata e ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova. São como a palmeira, obra torneada, mas não podem falar; necessitam de alguém que os leve, porquanto não podem andar: não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, nem tão pouco têm poder de fazer bem…".


ADORAÇÃO A PESSOAS

Que diz a Bíblia em Actos 10:23-26?
- Bíblia (Sociedade Bíblica: "E no dia imediato chegaram a Cesareia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos. E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés, o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem".

- Bíblia (Difusora Bíblica): E interessante o que diz a Bíblia editada pela Igreja Católica, diz exactamente o mesmo: "Chegou a Cesareia um dia depois. Cornélio estava com os seus parentes e amigos íntimos, que havia reunido. Na altura em que Pedro entrava, Cornélio foi ao seu encontro e, caindo-lhe aos pés, prostrou-se. Mas Pedro levantou-o, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem".

Actos 14:15, 18:
- Bíblia (Sociedade Bíblica): "…Varões, porque fazeis essas coisas? Nós também somos homens como vós, sujeitos às mesmas paixões, e vos anunciamos que vos convertais dessas vaidades ao Deus vivo, que fez o céu, e a terra, e o mar, e tudo quanto há neles…, e, dizendo isto, com dificuldade impediram que as multidões lhes sacrificassem".

- Bíblia (Difusora Bíblica): "Amigos, que fazeis? Também nós somos homens da mesma condição que vós, homens que vos anunciam que deveis abandonar os ídolos vãos e voltar-vos para o Deus vivo que fez o Céu, a Terra, o mar e tudo quanto neles se encontra…, Mesmo depois de ter assim falado, foi a custo que impediram a multidão de lhes oferecer um sacrifício".
Infelizmente, muitas igrejas "ditas evangélicas" não estão de todo livres deste pecado também. Pelas suas portas entraram venerações às relíquias, como objectos ungidos, por exemplo, rosas ungidas, lenços, meias, canetas, travesseiro de sonhos, água do rio Jordão, e outras aberrações mais.

As figuras e imagens da Igreja Católica foram substituídas por pessoas de carne e osso, como cantores gospel (cuja inspiração bíblica das suas letras deixa muito a desejar), idolatrados por seus ouvintes, pregadores que mais parecem animadores de palco, que são adorados pelo público como homens de Deus…


PROCISSÕES

O andar com imagens aos ombros, em procissões, é condenado pela Bíblia:
- Bíblia (Sociedade Bíblica): "Nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar" (Isaías 45:20).

- Bíblia (Difusora Bíblica): A Bíblia editada pela Igreja Católica diz: "Nada disto compreendem os que trazem o seu ídolo de madeira e dirigem as suas súplicas a um deus incapaz de os salvar" Isaías 45:20).
Leiamos novamente o livro de Isaías, agora em 46:5-7:

- Bíblia (Sociedade Bíblica): "A quem me fareis semelhante, e com quem me igualareis, e me comparareis, para que sejamos semelhantes? Gastam o ouro da bolsa, e pesam a prata nas balanças: assalariam o ourives, e ele faz um deus, e diante dele se prostram e se inclinam. Sobre os ombros o tomam, o levam, e o põem no seu lugar; ali está, do seu lugar não se move; e, se recorrem a ele, resposta nenhuma dá, nem livra alguém da sua tribulação".

- Bíblia (Difusora Bíblica): A Bíblia editada pela Igreja Católica diz: "A quem podereis comparar-Me ou igualar-Me? Quem poreis em paralelo comigo, que Me seja igual? Aqueles que tiram o ouro da sua bolsa, pesam a prata na balança, ajustam com um ourives para que faça um deus, diante do qual se prostram em adoração. Levam-no às costas, transportam-no e colocam-no no seu lugar; ele ali se mantém, sem se mover do sítio".


A TERMINAR

Chegámos ao fim do nosso Estudo e…
… Vimos que a idolatria é um pecado antigo e que acompanha o ser humano desde a sua queda.
… Passeámos pelas páginas do Antigo Testamento e vimos como Israel frequentemente foi sucumbido a esse pecado e com ele sofreu severas consequências.

… Nos Evangelhos não encontrámos nada acerca desse pecado, e que, a partir da extensão da Igreja no livro de Actos e até aos nossos dias é que encontramos no meio pagão a idolatria, a qual a Igreja, infelizmente, não soube tratar, permitindo que esse pecado se alojasse disfarçado no seu seio.

… Mas também estudámos como nos livrarmos deste pecado de acordo com as recomendações da própria Palavra de Deus.
Vemos assim que a Bíblia é veemente na condenação da idolatria. Ajoelhar-se alguém diante de uma imagem que pretende representar alguém é idolatria. Dois pecados são aí cometidos: o de adoração à criatura em lugar de adoração ao Criador, e o acto de idolatria.

Nós, evangélicos baptistas, não podemos pintar ou esculpir quaisquer imagens que, presumidamente, representem alguém ou alguma coisa, e depois nos prostrarmos, reverentes, diante dessas imagens. Não podemos prestar culto porque só temos um Deus. Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, três pessoas distintas mas um só Deus, o único a quem devemos prestar, exclusivamente, nosso culto. O Deus criador a sustentador de todas as coisas, o Deus onipotente, onisciente a onipresente.
As razões por que não podemos proceder assim são, como sempre, razões bíblicas.

Comecemos com as palavras de Pedro:
- Paulo, diz: "Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo" (Romanos 10:13).
- Pedro faz-nos uma solene advertência: "Estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós" (I Pedro 3:15).

- "Só há um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus" (I Timóteo 2:5).
- "O verdadeiro culto a Deus é o racional" (Romanos 12:1).
- Paulo exorta os crentes de Tessalónica: "Examinai tudo" (I Tessalonicenses 5.21).
Por fim leiamos as palavras de Jesus:

- "Deus é Espírito, e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade" (João 4:23-24).
- "Tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, Ele vo-lo há-de dar" (João 16:23).
Por tudo isto, as nossas orações começam com "Pai nosso… e terminam em nome de Jesus".
Ao terminamos este Estudo doutrinário, fazemo-lo com o apelo que Josué fez ao povo do seu tempo:
"Escolhei hoje a quem sirvais… porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor" (Josué 24:15).

Por fim, lembramos a sentença divina a todos aqueles que praticam a idolatria, ou seja, o culto às imagens, e a todos aqueles que as fabricam: "Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem, e todos os que neles confiam" ( Salmo 115:8 ).

Júlio Sérgio Felizardo


* Livros consultados:
- Adolfo Robleto, O Catolicismo Romano
- António Gonçalves Pires, Pode um Católico Salvar-se?
- C. H. Collette, Inovações do Romanismo
- Decyr de Sousa Lima, Doutrinas Católicas Analisadas
- Dreyer e Weller, A Bíblia e o Catolicismo Romano
- Catecismo da Igreja Católica, Edição de 1994

Primeira Edição, Cacém, Maio de 1981
Segunda Edição (Revista), Mangualde, Outubro de 1996
Terceira Edição (Actualizada), Cacém, Março de 2013
Quarta Edição (Revista e Actualizada), Cacém, Maio de 2014
Registado
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

BlackRain V3 2010 by , Crip Powered by SMF 1.1.21 | SMF © 2006-2009, Simple Machines Valid! XHTML
Página criada em 0.223 segundos com 19 procedimentos.