Estudos Biblicos
Estudos Biblicos
Dezembro 16, 2017, 11:55:18 *
Olá, Visitante. Por favor Entre ou Registe-se se ainda não for membro.

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão
 
Páginas: [1]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: A Sexualidade (parte I)  (Lida 5338 vezes)
Pr. Sérgio Felizardo
Administrator
Membro 4
*
Mensagens: 344



« em: Julho 24, 2009, 07:40:46 »

A SEXUALIDADE
A FISIOLOGIA DO SEXO

Alguns crentes se surpreendem quando descobrem que a Bíblia tem inúmeras referências à relação sexual. Não compreendem que esta é uma área que Deus quer encher de sua santidade e beleza. Alguns até se escandalizam quando se trata deste assunto na Igreja, como se fosse um tema impróprio para a vida cristã. Mas não é assim. O nosso compromisso com Cristo inclui todas as áreas de nossa vida.

Jamais este assunto, no Casamento, deve ser “tabu” ou “coisa vergonhosa”. Pelo contrário: deve haver toda a abertura. Um casal deve conversar sobre sexo, e conversar muito. Cada um deve saber como o outro entende o assunto. Cada um deve saber dar prazer ao outro.

A parte material (física) do sexo faz parte, também, do plano de Deus para a felicidade do casal. Deus criou o homem/mulher para desfrutar de um relacionamento completo, cheio de satisfação e prazer. Em todas as áreas, inclusive sexualmente (Génesis 2:18: “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idónea”; 2:24: “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma carne”; Provérbios 18:22: “Quem encontra uma esposa acha uma coisa boa; e alcança o favor do Senhor”; Hebreus 13:4: “Honrado seja entre todos o matrimónio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará”).

A importância que a Bíblia dá à relação sexual fica clara no texto de I Coríntios 6:16 (“Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque como foi dito, os dois serão uma só carne”), onde podemos perceber que o vínculo criado por esse relacionamento é intenso, mesmo quando exercido de modo leviano e irresponsável.

A intimidade compartilhada gera uma espécie de compromisso implícito, que a qualquer momento pode surgir na forma de cobranças afectivas ou materiais. Para que se cumpra o propósito divino através do acto sexual, é indispensável que haja um compromisso total e uma entrega completa de um para o outro. Isto só é possível dentro do casamento.

VISÃO BÍBLICA DO SEXO

Vejamos, então, o que a Bíblia diz sobre a relação sexual

1. O Sexo foi feito por Deus
Deus é o Autor do sexo. Quando Deus criou o homem, e a mulher, macho e fêmea, o registo bíblico mostra o seu cuidado. Ele “viu que tudo era bom” (Génesis 1:31). Portanto, Ele é o Autor do sexo e da relação sexual. As mãos que fizeram os olhos, o cérebro, também fizeram os órgãos sexuais.

Aquele que criou a mente, também criou o instinto sexual. Ele determinou as diferenças entre homem e mulher, e estabeleceu a atracção mútua. Mas Ele reservou a relação sexual, como uma experiência “unicamente para o casamento”.

2. O Plano de Deus em relação ao Sexo
Deus quis, na sua soberania, que o homem participasse directamente da obra da Criação, através da procriação, dando-lhe instrumentos maravilhosos que são os órgãos e instinto sexual.

A ordem de crescer e multiplicar não foi dada a solteiros, mas a casados: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a...” (Génesis 1:27-28). Deus não quis que o homem vivesse só: “E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele... Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne ” (Génesis 2:18, 24).

O PROPÓSITO DA RELAÇÃO SEXUAL

O propósito de Deus, ao instituir a relação sexual, divide-se em vários aspectos

1) Selar a união matrimonial
A relação sexual é que consuma o casamento: “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne” Génesis 2:24; “Assim já não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6; Marcos 10:7-9; “Honrado seja entre todos o matrimónio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará” (Hebreus 13:4).

2) A procriação da raça
A procriação está directamente relacionada com o sexo, porque é pela relação sexual que nos procriamos. Ter filhos é uma bênção de Deus: “Então Deus os abençoou, e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a” (Génesis 1:28). “Conheceu Adão a Eva, sua mulher; ela concebeu e. Tendo dado à luz a Caim, disse: Alcancei do Senhor um varão” (Génesis 4:1); “Eis que os filhos são herança da parte do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão” (Salmo 127:3).

3) Para experimentar a mais profunda expressão de intimidade, amor e felicidade do casal. O acto conjugal, além de físico, envolve o mental, o emocional e o espiritual. Ajuda a superar desacordos, alivia tensões nervosas e contribui para a boa saúde. A relação sexual é uma dádiva de Deus que abençoa o casamento: “Então Deus os abençoou” (Génesis 1:28).

4) O sexo é uma experiência de dar de si mesmo (I Coríntios 7:1-5):
a) O marido e a esposa têm necessidades sexuais e emocionais que devem ser satisfeitas no relacionamento do casamento: “Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher; mas, por causa da prostituição, tenha cada homem sua própria mulher e cada mulher seu próprio marido” (1-2).

b) Há direitos e obrigações tanto para o marido como da esposa. Cada parte é responsável em colocar como prioridade as necessidades sexuais do outro: “O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher ao marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o
seu próprio corpo, mas sim a mulher” (3-4).

c) “Nãos vos negueis um do outro, senão de...” (5):
- “comum acordo”.
- “por algum tempo”.
- com um propósito: “a fim de vos aplicardes à oração”.
- após isso, “e depois vos ajuntardes outra vez”.
- o perigo: “para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência”.

AS PARTES GENITAIS

O homem e a mulher se completam, correspondendo-se mutuamente nas partes genitais de um e de outro:

HOMEM – MULHER
Pénis - Vagina
Glande - Clitóris
Testículos - Ovários
Espermatozóides - Óvulos

SEXO E AMOR

A parte física completa a parte mental, emocional e espiritual. É como um prémio a duas pessoas que se amam. E isto lhes dá segurança e felicidade.

Se houver sexo (físico) sem amor (espiritual, emocional), a coisa se torna animal (qualquer animal tem sexo sem amor, sem mútua entrega.

A felicidade está no Amor. “Amor a Deus” é entrega. É dar sem esperar receber. O homem é feliz no sexo na medida em que consegue levar sua esposa a ter prazer. Da mesma forma a mulher: deve dar o máximo de prazer a seu marido. Infelizes os casais onde cada um pensa só em si mesmo. Aí é possível que não haja entrosamento sexual.

O amor é permanente, enquanto o sexo é transitório. O amor é eterno.

O verdadeiro amor é assim: cada um se entrega 100%. Não depende de o outro (ou outra) ser lindo ou não, essas qualidades físicas são passageiras.

A EXCITAÇÃO

É a vontade de usufruir do sexo. O corpo tem um “alarme” que é accionado por alguns “botões”, que são:

(continua ...)
Registado
Páginas: [1]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

BlackRain V3 2010 by , Crip Powered by SMF 1.1.21 | SMF © 2006-2009, Simple Machines Valid! XHTML
Página criada em 0.263 segundos com 20 procedimentos.